O amor da minha vida me deixou

O amor da minha vida me deixou

Fui revirar os e-mais do 2 de Paus e achar uma carta boa para ser a primeira do ano. Acabei escolhendo uma que fala de amor, porque tô sensível esses dias (‘mim’ julguem / ‘mim’ deixem).

Olá meninos, primeiramente, gostaria muito de parabenizar o site, dizer que vocês são ótimos e sou um leitor assíduo!

Bom, aqui vai meu dilema: AMOR! Sim, ainda acredito nisso (o que é uma tanto raro e estranho em nosso ”meio”, de certa forma). Sou muito romântico e acabei conhecendo o cara da minha vida, minha alma gêmea, tenho certeza que é ele. Foi rápido, intenso, as coisas se encaixaram, as conversas eram puras… Assim como eu, ele é um cara contido e, com o tempo, tudo ficou cada vez mais lindo. Naturalmente nos apaixonamos e nos amamos profundamente. Posso dizer que nunca senti algo tão grande. Veio o primeiro ”eu te amo” e foi recíproco. Era “amor” pra lá, “amor” pra cá, “quando vamos nos casar?, “quando vamos comprar as alianças e resolver o cartório?”…

Porém ele é evangélico e sempre demonstrou estar inseguro, se questionando se é pecado ser gay. Então veio um meteoro para acabar com a felicidade: ele falou sobre nosso relacionamento com duas amigas também evangélicas. Nesse dia batemos um papo por inbox e desconfiei que havia algo errado. Conversamos depois por telefone e sua voz não estava normal. Remoí isso até de noite quando ele chegou em casa e me disse que, depois de ver as amigas, se sentiu culpado e estava com medo do que Deus poderia fazer. Ficou por quase uma hora insultando a si mesmo e disse que não quer mais viver como homossexual (como se ALGUÉM tivesse escolha, fiquei boquiaberto) e eu discordando, tentando explicar o que ele não conseguia ver. Choramos muito (me tranquei no banheiro e quase que saio direto pro hospital, minha pressão foi pra lá de 18).

Ele está completamente lobotomizado, inseguro, com medo, traumatizado e frágil. É óbvio que o amor entre pessoas do mesmo sexo é mais que sagrado, verdadeiro e lindo! Ele não entende e prefere se culpar, sofrer e viver sozinho. Acha que esse é seu destino/castigo e não tira isso da cabeça. Estou sem dormir há dias, procurando ajuda, algo que liberte-o deste sofrimento e que nos faça ser feliz sem culpa! Continuamos nos falando bastante, mas é algo muito artificial, forçado… Entendo-o e respeito-o, e pretendo esperá-lo sendo fiel até quando for necessário. Agora o amor da minha vida é um religioso cego que não se aceita. Já não sei mais o que fazer, meninos, só quero cuidar do meu anjinho, e fazê-lo feliz. ME AJUDEM!

Obs: Aos garotos daqui, sei que muitos nem irão ligar para isso, mas nunca desistam do amor, ele é o sentimento mais lindo do mundo e é o que nutre e nos mantém vivos. Não percam e jamais deixem de acreditar. Quando bater na sua porta, atenda sorrindo, e não corra pro Grindr!!! ;). Beijão e muitíssimo obrigado!

Ahhh, a religião sendo fofa e mandando todo mundo pro inferno since antes de Cristo. <3

5+minutes+after+the+creation_72ba45_4587135

É triste ver que dois caras se gostam, mas não conseguem ficar juntos, porque todo mundo fica interferindo na vida pessoal deles.

Recado para as amigas do “namorado” do boy que escreveu a carta: cês num tem louça pra lavar, calcinha no balde de roupa suja pra esfregar ou orações para fazer não? Deixem a vida do amiguinho em paz, please.

[momentodefé] Não quero desrespeitar ninguém, ok? Masssss, preciso lembrar que não existe religião correta, perfeita e etc, cada um interpreta a vida de um jeito. Se ninguém tiver fazendo mal pros outros, não existe PECADO, não existe erro. Gente do céu, se seu deus é bondoso, pra que é que ele vai ficar putão e te mandar pro diabo se cê tá apenas AMANDO outro cara? [/momentodefé]

Jesus_496d77_2004595

Tem horas que fico pensando, imagina se o inferno existisse de verdade e os homossexuais tivessem que ir pra lá? Nem ia caber todo mundo. Consigo visualizar as bixa tudo cantando Lady Gaga e dançando com o diabo no meio de fogo enquanto as sapatão estão num canto ouvindo Ana Carolina e Maria Gadu.

Fala pro seu boy vir aqui ler o blog que eu tenho um recadinho pra ele também: se preocupe em não fazer ninguém sofrer, tente não matar seu amiguinhos, roubar o dinheiro do papai, torturar o irmãzinho mais novo com objetos cortantes e etc. Isso não é algo bom pra evangélico, católico, ateu, umbandista, judeu ou qualquer um que não seja um psicopata. Agora, ficar murrinhando amor, sério isso? Véi, desencana, vai lá ser feliz! Tirando as pessoas que tem a mente fechada, ninguém se importa se você dorme abraçado com uma mulher ou um macho.

E, leitor que enviou a carta, tente se acalmar, não se afaste do boy. Ele está passando por um conflito interno complicado, são muitas dúvidas. Aproveite que cês continuam amigos e, de vez em quando, pergunte algo que o faça refletir, como “porque estarmos juntos seria tão errado?” ou “quem seria prejudicado se continuássemos sendo namorados e porque?”.

Espero que se sinta reconfortado sabendo que não é o primeiro, nem o último no mundo que passou ou passará por essa situação. Existe bastante gente acreditando em tudo que se ouve em rituais religiosos, pra mudar isso, só com muita conversa mesmo. Há alguns meses recebemos uma carta parecida com a sua, talvez ajude: O boy é religioso e não sabe que sou gay.

Beijos.

Por Henrique Assis