Praticamente toda semana sou acordado recebendo uma mensagem relacionada ao 2 de Paus. Dessa vez foi uma do Pedro Lino, dizendo  “lê a carta que recebemos, é pesada”. tumblr_inline_n4rncezoVb1qjk6pl

Abri  nosso email e estava lá, tal grande mensagem:

Sinceramente, escrevo não para ter ou conseguir conselhos, mas para divulgar meu problema e mostrar para outros, mesma situação, que eles não estão sozinhos e existem pessoas vivendo o mesmo dilema.

Falarei primeiramente sobre mim: sou adotado, praticamente, digo isso, pois fui “pego” com cinco dias de vida, então no registro consta que sou filho natural; isso não é relevante e é, ao mesmo tempo, posto que desde criança psicólogos diagnosticaram que eu tinha, inconscientemente, problemas com rejeição (devido a ter sido “abandonado”). Hoje, porém, percebo que talvez sim, tenho dificuldade com rejeição, não só na vida amorosa, como na acadêmica e profissional; não aceito não ser reconhecido no trabalho, e isso, algumas vezes, se torna um drama.

Segundo ponto: sempre tive problemas com peso. Brevemente, com 18 e 19 anos, fui magro, e, de certa forma, “mais atraente” (pelo menos era o que eu achava). Não aproveitei, estive encafufado num romance platônico e não fiquei com ninguém.

Meu desabrochar para o mundo gay veio mesmo com 20 anos, e meu auge foi ano passado, quando tinha 22. Nesses dois anos anteriores, tentei e tentei e não consegui um namorado. Porém, no início de 2013, exatamente dia 4 de janeiro, conheci meu primeiro amor. Sabe como é! Primeiro amor, muitas expectativas… e ele termina comigo quase 2 meses depois, por SMS…

Fiquei mal e triste, deixei de sair e me divertir por um mês. Eis que conheço outro boy, o qual chamarei de G. Ele era lindo! Perfeito, e não fui eu quem cheguei nele. O cara era peludo, pálido, olhos azuis, barba e cabelo negro, quase um “fetiche” no mundo gay, um “urso” perfeito! Me marcou e ainda marca.

A questão é que ele era tão bonito que me achei incapaz de ir atrás e querer algo mais. Passou semanas e viramos só amigos, ainda que “amigos” daqueles de Facebook, sabe?

Nas semanas seguintes, e vou resumir bem: caí num amor pelo meu melhor amigo, que me rejeitou e, óbvio, isso me atingiu profundamente.

Depois dei um rodo geral, já que eu estava com o coração partido. Até dezembro passado, fiquei (sim, eu contei!) com 92 pessoas só em 2013, dessas, transei com umas 56. Sim! E eu nem estava na melhor forma, nem sei porque agora eu encano tanto com meu corpo. O grande número se deve ao fato de que em uma festa eu pegava de 4 à 12 pessoas.

Agora falarei meu problema, havendo então uma parte onde eu descrevo minhas próprias discussões pessoais: desses boys, apenas quatro deles, incluindo o G., me marcaram em 2013, e, por isso, tive intenções de namorá-los. Alguns duraram 3 semanas de “namoro”. Não sei se o erro de não terem durado mais tempo foi meu ou se eles ouviram falar mal de mim; isso não importa – não mais, pelo menos – o que me choca é o fato de eu ter posto tantas expectativas neles, demonstrado amá-los e ser fiel, eles parecerem querer algo também e apenas “sumirem” depois, sem avisar nem mesmo dar uma explicação plausível. Só para vocês terem uma ideia, um desses caras me disse que ia “deixar de ser gay” (esse ano vi ele no Grindr de um amigo, isso responde muito!). Bom, chegou 2014, e eu estava com certezas assim:

1- Ninguém no mundo gay presta; 2- Você é feio, gordo e as pessoas só te pegaram porque você era o que tinha de “menos feio”; 3- Você tem problemas com rejeição, o melhor é não amar ninguém e ser difícil; 4- Não pegar mais do que uma pessoa por vez.

A primeira “certeza” é uma furada! No mundo todo, em todos os grupos, existem pessoas que prestam e que não prestam, percebo isso agora. Já a segunda, sim, mentalmente eu tentava me culpar por não ser um cara “malhado, barbudo e fodão” como a maioria dos gays deseja. Mas daí, será mesmo que era isso? Será mesmo que ninguém dos 92 gostaram de mim como sou? São coisas que eu pergunto mas que, calma lá, explicarei porque eu simplesmente ignoro essa parte agora.

Foi então que conheci o S., e namorei ele um tempo até que ele terminou mês passado. Graças aos céus, ele e eu conversamos, e eis o que ele me fala que eu era frio com ele, que o tratava como se ele fosse me trair e humilhava-o na frente de amigos. Percebi que a única pessoa que me curtia como eu era e queria sinceramente ficar comigo foi tratada por mim como lixo (coisa que deveria ter feito com aqueles que me deixaram mal, mas eu, idiotamente, não fiz), ou seja, o S. estava catando os cacos que sobraram dos meus relacionamentos anteriores…

Na hora, caí em depressão, e estou assim até agora. Me tornei aquilo que abominava: pessoas crueis, sem sentimento, que apenas estão com você pois não tem uma “opção melhor”. E agora, me sinto péssimo por causa desse sentimento. Só que, lembrando do passado, eu também me sinto lixo fisicamente, ou seja, eu me acho gordo, escroto e idiota.

Agora, estou com rancor dos 4 caras que me marcaram e me rejeitaram. Simplesmente não consigo passar um dias sem desejar o mal deles, esperar que eles me liguem se desculpando (no mínimo), ou imaginar ir atrás deles para tirar satisfação.

Por fim, passei a pensar em suicídio. Sim! Comecei a trabalhar numa farmácia, e lá, conheci vários medicamentos, o que me fez iniciar a tomar psicotrópicos e tarjas-preta indiscriminadamente. Apesar de parte de mim dizer “não faça isso”, outra parte diz “faça, sua vida acabou”.

Há uma semana não saio com amigos, evito festas. Decidi que só eu e eu mesmo me completo. Quero que saibam que, se você magoou algum “peguete”, se desculpe, e tente perceber quem te ama. Para mim não tem mais jeito.

Não tenho mais nada a dizer. É isso.

Confesso que, quando terminei de ler, pensei “ca-ra-lho, é uma carta de despedida!”. Não sabia o que fazer, Pedro Lino também não.

Procurei o Facebook do tal garoto, tentei conversar, mas ele não dava respostas. Esperei contato por mais de um dia e nada. Cheguei  a conclusão que ele tinha realizado o que queria, já era. Até que, finalmente, o boy surgiu. Quase dei um um tapa virtual na cara  dele por ter feito isso comigo (por favor, gente, não ajam dessa maneira de novo, quase morri do coração!)

tumblr_mbwhudWTr81rx0w5n

Tivemos um papo legal e ele me explicou detalhes do que estava causando aquela depressão.

Para quem não sabe, depressão é um distúrbio afetivo. No sentido patológico, normalmente há presença de tristeza, pessimismo e baixa autoestima (por acaso ele tem TODAS AS OPÇÕES).

É difícil aconselhar alguém que está neste estado, porque, por mais que eu quisesse dizer “esquece tudo isso, vai sair com seus amigos, se divertir”, não iria convencê-lo. Para mim, o que poderia fazer era buscar mudar de vida, esquecer o passado, seguir em frente tentando não chatear ninguém (porque ter magoado pessoas, agindo da mesma maneira que os “ex-namorados” faziam, foi o que o deixou mais triste), viver em outra cidade, conhecer uma galera nova. Ou pelo menos tentar começar algum curso sobre algo que ele curta, desenvolver um hobbie, alguma atividade que lhe dê prazer. Contudo, realmente, não havia como eu fazê-lo aceitar, o garoto tinha que entender isso por si só.

A prosa fluiu e ele revelou que tava tentando ser forte, esperando que a vida o guiasse. Senti que havia um tiquinho “vontade” ali dentro, o que já é algo bem bom.

Ele também revelou que está tendo consultas com um psicólogo e, apensar dele não gostar muito disso, o fato dele estar vendo um médico me deixou aliviado. Repito, estão se sentindo mal, procurem ajuda em um hospital, não se entreguem a uma doença. Ela tem solução, é só vocês quererem.

Anyways, procurem ser mais confiantes com a vida, galera. Como já expressei outras vezes: acreditem no que são. Se enxergarem defeito em si mesmos que não façam mal para outras pessoas ou para sua saúde, então, apenas ignorem, porque, muitas vezes ninguém tá nem vendo tal “problema” e você taí sofrendo “atoa”.

Sei que a resposta para a carta de hoje não teve muito humor, porém, isso foi para que entendam que depressão é coisa séria.

Para finalizar, aqui está um vídeo criado para a World Health Organization que faz uma analogia entre este distúrbio e um cachorro, é bem criativo e ajuda a entender melhor como esse distúrbio ocorre:

Desejo toda energia positiva para quem está passando por algo parecido.

Por Henrique Assis

About The Author

No 2 de Paus nada é blefe e nosso jogo é um mais quente que o outro. Podem virar suas cartas.

Related Posts

Comentários

  1. paulo s disse:

    A ocorrencia desses comportamentos no mundo gay e muito mais frequente q se imagina. a solidao de cada um

  2. Filipe disse:

    Também tenho depressão e isso se deve ao fato de, por exemplo, eu ser BV com 22 anos – eu não devo ser nenhum pouco atraente mesmo para um cara chegar em mim no cotidiano. O que eu posso dizer pra esse cara é que, do meu ponto de vista, ele está melhor do que eu nesse sentido.

    1. TMM disse:

      Eu sei como é isso, já estou prestes a fazer 22 anos também e só tive uma experiência, e foi com um amigo, quase uma brincadeira. Eu sei que não sou nem um pouco bonito, e também não devo ser muito interessante, por que até hoje, ninguém nunca se interessou por min, até teve um cara uma vez, que queria só sexo, e isso pra min é algo vazio, emfim, kkkkk, ficou quase uma carta, me sinto triste, mas não chega a ser depressão, ultimamente eu tenho ignorado esses sentimentos, mas vou vivendo assim, nem feliz, nem triste, só vive.

  3. Jo disse:

    Nossa já passei por essa tentativa de suicídio também, mas tive a sorte de não entender sobre remédios suficiente pra saber que o que eu tomei não iria adiantar. Foi foda, mas aprendi a lidar com a depressão depois disso. É algo que vez ou outra volta, mas a gente sempre pode encontrar motivos pra viver e pra acreditar que as coisas vão melhorar.

    Fora que, meu filho, se eu tivesse a chance de pegar esses 92 caras, eu estaria era me sentindo super confiante, definitivamente grande parte deles quis mesmo algo contigo e se interessou por ti. Não sou do tipo que fica com vários caras, mas se pelo menos um quarto desse número demonstrasse interesse por mim eu estava era feliz.

    Segue a vida, se abra para o mundo, se abra para o amor e esqueça das feridas. Permita’se querer o bem aos outros que você terá tudo de bom que merece 😉

  4. Manuel disse:

    Eu realmente não sei o que falar !
    Mas é como o Jo disse: “Se eu tivesse a chance de pegar esses 92 caras, eu estaria era me sentindo super confiante, definitivamente grande parte deles quis mesmo algo contigo e se interessou por ti.”

    Eu me acho gordo,e até sou, mas pra quem saiu do GG e entrou no M , estou me sentindo ÓTIMO !

    Mas viva ! Arranje um Hobbie, amor não se procura, acontece.

  5. LB. disse:

    Amor, segue em frente com tua vida. Abandona essas coisas pesadas do passado. Não é fácil, mas entregar isso é melhor do que ficar guardando. Vai doer? Vai. Mas a recompensa vem depois. Fique na luz. Sempre.

    Um beijo.

  6. Zapiano disse:

    Gostei de ler esse post. Claro que a história é meio…horrível… mas gostei mesmo assim. Tenho a sensação que muitos amigos passam por algo semelhante e talvez não tenham se dado conta. E digo o mesmo de mim.

    E o vídeo é muito fofo e me fez chorar, óbvio. :p

  7. Renan Augusto disse:

    Sei muito bem como e isso! Eu tbm sou adotado, fui pego com dias de vida, e o pior fui “jogado” na frente de casa. Tenho dificuldade pra me relacionar com pessoas, conhecer pessoas e principalmente conseguir algum relacionamento! Sei como sao essas dificuldades que vc passa…acho que isso sim, é um complexo de rejeicao! é complicado, tanto que n sei muito o que dizer..mas é muito foda receber um nao de alguem, tanto no amor quando na vida profissional, isso deixa vc muito pra baixo! To aprendendo com a vida, tentando me aceitar e valorizar aqueles que estao perto de mim, pelo menos alguns amigos, que ajudam muito!

  8. Junnior disse:

    Eus sinto exatamente como ele se sente, mas sofro com isso sozinho. Sempre que começo a falar sobre isso com alguém dizem que é frescura minha, para parar de bobeira, então resolvi deixar isso guardado comigo, a ser tratado como alguém que só está fazendo drama. Só desejo força para ele porque sei que não é nada fácil. :/

  9. douglas disse:

    já passei por isso é muito triste
    chato,que mais parece uma dó de cabeça martelando
    em sua cabeça toda hora
    é um sentimento ruim que você cria
    que faz com que agente pareca inútil,estupido
    e vem aqueles pensamentos ruins
    que faz com que a pessoa parta logo para o suicídio
    ou não querer mais viver
    você cria um mundo onde é só seu pra que ninguém
    possa penetra.uma barreira,dai você parte pra frieza
    amarga querendo o ódio,vingança!
    o que eu tenho a dizer é isso rs
    a vida é assim mesmo altos e baixos
    mais você tem que ser forte capas de fazer qualquer coisa
    pra sua felicidade.